quarta-feira, 20 de maio de 2020

O gelo do Polo Sul está ficando verde

Polo Sud: il ghiaccio sta diventando verde per le alghe che vi crescono


Fonte: Corriere Della Sera


O gelo do Polo Sul está ficando verde devido às algas que crescem na superfície com o aumento das temperaturas. Segundo os autores do estudo publicado na Nature Communications, essa é uma boa notícia (parcial). A parte positiva é que as algas coletam dióxido de carbono tanto quanto o emitido pelos carros em 875 mil viagens médias; a parte negativa é que o desenvolvimento das algas se deve essencialmente ao aumento das temperaturas globais. Não é por acaso que, em 9 de fevereiro, a temperatura mais alta registrada no continente congelado já foi registrada na Península Antártica: 20,75 graus na base argentina Marambio, na ilha Seymour.

Elas absorvem dióxido de carbono

Graças aos dados coletados pelo satélite europeu Sentinel-2, os pesquisadores identificaram mais de 1.600 diferentes algas no gelo, para uma área total de 1,9 quilômetros quadrados. "Parece pequeno, mas a biomassa total de algas é notável", explicou Matt Davey, do Departamento de Ciências Botânicas de Cambridge e um dos autores da pesquisa.

Algas vermelhas nos Alpes

A presença de algas tem outro efeito negativo. Torna o gelo mais escuro e, portanto, diminui a quantidade de luz solar refletida, resultando em maior do que a absorvida pelo próprio gelo, que tende a derreter ainda mais. O mesmo fenômeno, no entanto, com algas vermelho-púrpura, foi recentemente observado também nas geleiras dos Alpes por uma equipe de pesquisa italiana.

Nenhum comentário: